América Mineiro   Atlético Mineiro   Atlético Paranaense   Bahia   Botafogo   Ceará   Chapecoense   Corinthians   Cruzeiro   Flamengo   Fluminense   Grêmio   Internacional   Palmeiras   Paraná   Santos   São Paulo   Sport   Vasco   Vitória   Atlético Goianiense   Avaí   Boa Esporte   Brasil - RS   Coritiba   CRB   Criciuma   CSA   Figueirense   Goias   Guarani   Juventude   Londrina   Oeste   Paysandu   Ponte Preta   Sampaio Corrêa   Santa Cruz   São Bento (SBN)   Vila Nova  

Lucas Eduardo leva Rondônia ao topo do pódio no judô nas Paralimpíadas Escolares

 
Lucas (faixa laranja) durante a final da categoria até 81kg no CT.
09/01/2018 10h21, Comitê Paralímpico Brasileiro
 
20 Lucas (faixa laranja) durante a final da categoria até 81kg no CT Paralímpico de São Paulo (Foto: Leandro Martins/MPIX/CPB)
Lucas (faixa laranja) durante a final da categoria até 81kg no CT Paralímpico de São Paulo (Foto: Leandro Martins/MPIX/CPB)
Atleta foi o vencedor na categoria meio-médio (até 81kg) e ainda faturou a prata na categoria absoluto, para atletas de todos os pesos Filho de um casal de cegos, Lucas Eduardo Martins nasceu com um problema congênito na visão, que o deixou sem enxergar. A deficiência, contudo, nunca foi empecilho para ele. Tanto que ele venceu o regional escolar de judô convencional na região Norte do País. A secretaria de Educação de Rondônia, vendo o potencial claro do atleta, decidiu trazê-lo para as Paralimpíadas Escolares. O ouro conquistado na categoria meio-médio (até 81kg) e a prata no Absoluto, com atletas de todos os pesos, são indicativos de que a aposta valeu a pena. "Comecei no esporte para emagrecer, por questões de saúde, aos 11 anos. A partir da hora em que comecei a competir para valer, vi que era daquilo que gostava. Estou em competições tanto no olímpico quanto no paralímpico, porque o meu treino é bastante semelhante para os dois. Claro que há diferenças, mas me adaptei. Quero estar em Tóquio", disse o atleta de 17 anos, que já foi encaminhado para as Seleções de base do judô pela Confederação Brasileira de Desporto para Deficientes Visuais (CBDV). "Estou em competições tanto no olímpico quanto no paralímpico, porque o meu treino é bastante semelhante para os dois. Claro que há diferenças, mas me adaptei" Lucas Eduardo Cerca de 900 atletas de 26 Estados mais o Distrito Federal estão em ação nas Paralimpíadas Escolares. Dez modalidades compõem o programa da competição: atletismo, basquete em cadeira de rodas, bocha, futebol de 5, futebol de 7, goalball, judô, natação, tênis de mesa e tênis em cadeira de rodas. Nas últimas duas edições das Paralimpíadas Escolares, o título ficou com o estado de São Paulo. Desde suas primeiras versões, o evento revela talentos do paradesporto brasileiro. Os velocistas Alan Fonteles e Petrúcio Ferreira, a saltadora Lorena Spoladore, o nadador Matheus Rheine e o atleta do goalball Leomon Moreno, todos eles medalhistas em Jogos Paralímpicos e Mundiais, são alguns dos nomes que despontaram na competição.
 

/comentários

O comentário não representa a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

/notícias relacionadas

• Regulamentos para 2019 são analisados em reunião na FFER
• ACADEMIA DE KARATÊ ZANSHIN DOJO CONSAGRA SE CAMPEÃ DA V COPA MÃO DE FERRO
• Tiago Batizoco analisa propostas de olho em 2019

Compartilhe você também:

Contato: Jornalista Alexandre Jabá - DRT 1357 Telefone/Whatsapp: (69) 98487-3042 ou pelo e-mail: alexandrejaba1@gmail.com

© 2018 - Todos os direitos estão reservados - Lucas Eduardo leva Rondônia ao topo do pódio no judô nas Paralimpíadas Escolares - Plantão Esportivo - A notícia em 1º lugar

Quem somos | Política de Privacidade | Fale conosco