América Mineiro   Athletico Paranaense   Atlético Goianiense   Atlético Mineiro   Bahia   Bragantino   Ceará   Chapecoense   Corinthians   Cuiabá   Flamengo   Fluminense   Fortaleza   Grêmio   Internacional   Juventude   Palmeiras   Santos   São Paulo   Sport   Avaí   Botafogo   Brasil - RS   Brusque   Confiança   Coritiba   CRB   Cruzeiro   CSA   Goias   Guarani   Londrina   Náutico   Operário-PR   Ponte Preta   Remo   Sampaio Corrêa   Vasco   Vila Nova   Vitória  
4

Jogos adiados podem virar rotina no Brasil, dizem infectologistas

 
Na visão dos médicos, o maior perigo é fazer com que os jogadores se tornem vetores da doença
11/08/2020 11h50, Agência Estado
 
20 Na última rodada o jogo Goiás e São Paulo foi adiado. (Foto: Divulgação)
Na última rodada o jogo Goiás e São Paulo foi adiado. (Foto: Divulgação)

Quem acompanhar o Campeonato Brasileiro desta temporada possivelmente vai precisar se acostumar com a situação inusitada de uma partida ser adiada porque há um time com um grande número casos do novo coronavírus no elenco. A exemplo do ocorrido no último domingo, entre Goiás e São Paulo, em Goiânia, infectologistas ouvidos pelo Estadão apostam que, pela situação da pandemia e pela exposição dos atletas ao contágio, outras partidas vão passar pelo mesmo problema.

Para esses especialistas, é provável até mesmo que surtos como o encarado pelo Goiás, que tem nove casos confirmados da doença, passem a ser mais comuns justamente a partir de agora, por causa das viagens. Cada time terá duas partidas por semana e vai precisar passar com frequência por locais considerados pelos médicos como mais perigosos para se contrair o vírus. A segunda das 38 rodadas da competição tem início na quarta-feira.

"É possível que aconteça (novos adiamentos dos jogos). A epidemia ainda está entre nós, e qualquer proximidade entre pessoas pode gerar transmissão", afirmou o membro da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), Renato Grinbaum. O presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, manifestou na segunda-feira a preocupação com esse impacto. "O Brasileirão precisa que todos entendam e aperfeiçoem os protocolos para continuar suas atividades", escreveu nas redes sociais.

É DIFERENTE
Os médicos consideram que, após as equipes terem disputado Estaduais, apenas com partidas com viagens curtas ou quase sempre na mesma cidade, agora o calendário passará por uma fase crítica.

"O deslocamento por aeroportos e hotéis é uma situação muito crítica porque você tem muita exposição ao vírus em salas de espera, recepções e restaurantes", explicou o médico Estevão Urbano, também da SBI.

Na opinião do infectologista, inclusive, o maior perigo do Campeonato Brasileiro é fazer com que os jogadores se tornem vetores da doença. "Os atletas têm boa saúde e certamente vão se recuperar. O problema é na verdade o pai deles, alguém com comorbidade da família ou uma pessoa que possa ser contaminada porque está no mesmo hotel", disse Urbano.

Apesar das preocupações, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) mantém a realização do torneio e a aplicação de cuidados. Um desafio para o Brasileirão é continuar com os jogos espalhados por várias cidades, ao contrário do realizado por outras ligas.

MODELO NORTE-AMERICANO
Nos Estados Unidos, o campeonato local de futebol reuniu todos os times em um mesmo resort em Orlando para dispensar as viagens e criar com mais cuidado uma espécie de bolha de convivência. Já a China dividiu os participantes em duas sedes. A Liga dos Campeões terá nesta semana o início da fase final com os oito clubes restantes concentrados em Lisboa.

Os clubes e a CBF descartaram mudar o formato de disputa do Brasileirão e insistiram em disputar as 38 rodadas. Para infectologistas, a ideia de reunir os 20 times em um mesmo local seria positiva, porém a medida teria altos custos e não traria garantias de segurança.

"Por melhor que sejam os protocolos, eles não são 100% eficazes. Você não consegue deixar todos os jogadores presos em um mesmo local o tempo todo. Sempre vai ter algum furo", disse o infectologista Marcelo Otsuka, também da SBI.

 


 

 

/comentários

O comentário não representa a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

/notícias relacionadas

• Influenciadora Digital Fran Orben, palmeirense esteve hoje no Alianzz Parque na Vitória do Verdão
• Real Ariquemes supera Fortaleza no 1º jogo de ida que vale vaga na elite do futebol feminino
• Federação Rondoniense de Futebol marca início da segunda divisão

Compartilhe você também:

Contato: Jornalista Alexandre Jabá - DRT 1357 Telefone/Whatsapp: (69) 98487-3042 ou pelo e-mail: [email protected]

©2022 - Todos os direitos estão reservados - Jogos adiados podem virar rotina no Brasil, dizem infectologistas - Plantão Esportivo - A notícia em 1º lugar | CNPJ.: 41. 193. 592/0001-92

Quem somos | Política de Privacidade | Fale conosco